Imprès des de Indymedia Barcelona : http://barcelona.indymedia.org/
Independent Media Center
Notícies :: globalització neoliberal
A Presença do Proudhonismo nas Sociologias Contemporâneas
24 oct 2003
A Presença do Proudhonismo nas Sociologias Contemporâneas
A Presença do Proudhonismo nas Sociologias Contemporâneas

Apresentamos a Actualização de Outubro do site
http://www.franciscotrindade.com
Com a introdução de um novo texto intitulado

A Presença do Proudhonismo nas Sociologias Contemporâneas

Procurar pelo link Novidades    
Segue-se excerto do texto que pode ser lido na íntegra em http://www.franciscotrindade.com.
Responsável técnico máximo, como de costume
José Carlos Fortuna.
Saudações proudhonianas
Até breve
Francisco Trindade

A Presença do Proudhonismo nas Sociologias Contemporâneas


Seria certamente falacioso imaginar o prolongamento de uma âinfluênciaâ? directa da obra de Proudhon nas ciências sociais actualmente. Um conjunto teórico também contestado, rejeitado nos estudos académicos, não pode, apesar dos 138 anos, constituir em legado fielmente transmitido e repetido.
As ciências sociais, e particularmente a sociologia, são, pelo contrário, reformuladas através das rupturas que eram simultaneamente rejeições aparentes da problemática proudhoniana. A ruptura de Durkheim, que foi tão importante para a história das sociologias em toda a primeira metade do século XX, é operada contra os filósofos sociais e as suas ambições excessivas. As críticas severas de Durkheim ao olhar de Auguste Comte ou de Herbert Spencer atingiram também, por alusão, os filósofos da história e os filósofos sociais nos quais Proudhon podia ser suspeito. Por outro lado, a ruptura no que diz respeito ao método de procura circunscritos e fragmentados, destruía as audácias intelectuais doravante rejeitadas no domínio das ideias políticas. Enfim, a forte difusão do marxismo operou uma poderosa pressão para combater as teses proudhonianas.
Assim também, os sociólogos franceses contemporâneos não tinham sido trazidos a contar Proudhon entre os seus mestres a pensar, apesar dos esforços de Célestin Bouglé depois de Georges Gurvitch. Entre os autores do século XIX e do principio do século XX, estas são sobretudo as obras de Marx, de Weber e de Durkheim que substituíram este papel. Proudhon estava largamente ausente da formação dos sociólogos ao mesmo título que Tocqueville ou Le Play e para as razões diametralmente opostas.
Sindicat Terrassa