Imprès des de Indymedia Barcelona : http://barcelona.indymedia.org/
Independent Media Center
Notícies :: globalització neoliberal
É Possível Hoje em dia ser Revolucionário?
27 jul 2003
É Possível Hoje em dia ser Revolucionário?
à Possível Hoje em dia ser Revolucionário?


Esta questão não será abordada no plano teórico: penso que não é a melhor aproximação ao tema em causa. Simplesmente, as observações que me proponho desenvolver provêm duma reflexão prática que encontra a sua origem num empenhamento pessoal. Razão de sobra para não fechar os olhos à realidade na qual estamos inseridos.
Então, ser â ou pretender ser â revolucionário hoje em dia será que ainda tem sentido? Para delinear uma resposta a esta questão, é preciso perguntarmo-nos antes de tudo se existe à nossa volta sinais, mesmo discretos, da viabilidade do discurso revolucionário. De seguida, é preciso interrogarmo-nos sobre as formas de transformação social que podem encontrar-se em germe na crítica actual da sociedade do capitalismo triunfante.
Mesmo se a diligência nada tem de científico, interrogarmo-nos sobre a viabilidade do discurso revolucionário, é interrogarmo-nos sobre aquilo que poderíamos chamar âo ar do tempoâ?, a presença, entre os nossos contemporâneos, no sentido mais amplo, duma atenção particular àquilo que rompe com o pensamento único, com o discurso dominante. Digo isto simplesmente pois sinto-me bastante afastado da noção de â clube de ideiasâ?, de conservatório ideológico onde acabamos por nos convencer que temos razão e que o mundo inteiro está errado. Trata-se duma diligência, honrável talvez, mas própria a cultivar a acidez do carácter e a suscitar os comportamentos sectários.


Apresentamos a Actualização de Julho do site http://www.franciscotrindade.com
Com a introdução de um novo texto intitulado
à Possível Hoje em dia ser Revolucionário?
Procurar pelo link Novidades    
Segue-se excerto do texto que pode ser lido na íntegra em http://www.franciscotrindade.com.
Responsável técnico máximo, como de costume
José Carlos Fortuna.
Saudações proudhonianas
Até breve
Francisco Trindade
Sindicat